Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Meu Clube É a Seleção!

Os pensamentos de uma simples adepta da Seleção Nacional, que não percebe assim tanto de futebol mas que é completamente maluca pela Equipa de Todos Nós.

Na recta final

Na próxima Sexta-feira, dia 7 de Outubro, a Selecção Portuguesa de Futebol enfrenta a sua congénere islandesa, no Estádio do Dragão. Quatro dias mais tarde, no dia 11, enfrentará a Selecção Dinamarquesa em casa desta última, em Copenhaga. Estas serão as duas últimas partidas da Qualificação para o Europeu de 2012, a realizar-se na Polónia e na Ucrânia.

Visto que não pude acompanhar o jogo com o Chipre, passei este último mês mais ansiosa por esta jornada dupla do que o costume. Devorava toda e qualquer notícia que mencionasse a Selecção Nacional. Cheguei mesmo a contar os dias para Paulo Bento anunciar os Convocados. E quando estes finalmente foram anunciados, como estava fora de casa, usei o meu leitor de MP3 para acompanhar a conferência via rádio. Como podem ver, a minha doença crónica pela Turma das Quinas anda a ser mal controlada.

Encontramo-nos, então, na recta final do Apuramento. Para o consumarmos de forma directa, basta fazermos quatro pontos nesta jornada dupla - ou seja, vencermos a Islândia e empatarmos frente à Dinamarca. Eu preferiria que ganhássemos ambos os jogos por três motivos. O primeiro é o mais importante e o mais óbvio: ganhar é sempre melhor do que empatar. Andamos a ganhar todos os jogos oficiais, porque haveríamos de deixar de fazê-lo agora? Segundo: a Dinamarca já nos complicou a vida à grande e à dinamarquesa várias vezes num passado recente. Além disso, gostam muito de nos - passe a expressão - mandar bocas. Aposto que vão fazer o mesmo agora, nas vésperas do jogo contra eles. Como tal, vencê-los uma vez mais ia ter um saborzinho extra. Por fim, foi frente a eles que, há um ano, a Selecção recém-renascida teve a primeira de uma série de vitórias seguidas em jogos oficiais. E seria perfeito consumar esse mesmo renascimento e a Qualificação frente ao mesmo adversário.

O estágio de preparação realizar-se-à no Algarve, portanto, desta vez, não poderei ir assistir a um treino. Para ser sincera, fico aliviada pois esta semana não me dava jeito nenhum escapulir-me para o Jamor, sobretudo tendo em conta que o único treino aberto realiza-se hoje, ao fim da tarde. Por outro lado, tenho pena de não poder desejar pessoalmente boa sorte aos Marmanjos (nem que fosse apenas acenando com o cachecol quando o autocarro passasse...). Fica para a próxima.

Paulo Bento tem falado sobre a falta de uma Casa da Selecção, sobre eventualmente fazer do Jamor o centro de estágio definitivo da Equipa de Todos Nós. Espero que essa ideia se concretize rapidamente, para eu poder ter mais hipóteses de ver os Marmanjos. Também espero que, se isso vier a acontecer, de caminho, melhorem a Estação da Cruz Quebrada e façam com que mais comboios parem lá, que aquilo, sinceramente, deixa bastante a desejar...

Fiquei algo apreensiva ao saber que jogadores como o Pepe, o Fábio Coentrão e o Hugo Almeida se encontram lesionados. Foi por esse motivo que esta Convocatória ficou marcada por várias Escolhas pouco habituais (gostei de saber que o Quaresma está de regresso). Paulo Bento afirma termos boas hipóteses de nos qualificarmos, independentemente dos jogadores que envergarem a camisola das Quinas.

E parece que essa é crença comum entre os Marmanjos. Há uns tempos, numa entrevista, Cristiano Ronaldo afirmou sentir que a Selecção se encontra num bom caminho, que não se sentia assim há algum tempo. Mais tarde, o Pepe disse, igualmente numa entrevista, que, hoje, a Selecção é "uma equipa muito forte e em todos os sentidos", "sólida e estabilizada", como, de resto, tem provado ser dentro das quatro linhas.

Também eu estou confiante. Receio, até, estar confiante demais. Na verdade, assumo sempre que a Selecção estará na fase final seguinte. Só quando vejo que as coisas estão a correr mesmo mal é que coloco o cenário oposto (e mesmo assim...). Desta feita, há um ano que não tenho motivos para considerar a hipótese de ficarmos de fora do Euro 2012. Por outro lado, nestas coisas tenho a superstição de achar que o excesso de confiança atrai a má sorte. Paulo Bento diz que a Selecção se concentrará, primeiramente, em conquistar os três primeiros pontos de que precisa frente à Islândia. Vou tentar fazer o mesmo. E, ao mesmo tempo, acompanharei a preparação deste encontro do mais perto que puder. Devorarei cada notícia, cada declaração, cada fotografia que estiver ao meu alcance. Se puder e tiver material para isso, postarei nova entrada no blogue antes do jogo. Noutras palavras, tenciono aproveitar ao máximo o facto de, finalmente, os jogos da Selecção estarem à porta!