Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Meu Clube É a Seleção!

Os pensamentos de uma simples adepta da Seleção Nacional, que não percebe assim tanto de futebol mas que é completamente maluca pela Equipa de Todos Nós.

Eurosondagem - "O envolvimento dos portugueses com a Selecção"


Na passada Quarta-feira, no início da Conferência de Imprensa a propósito da iniciativa Seja Sócio da Selecção da Federação Portuguesa de Futebol e do BES realizada na sede da FPF, foi apresentada uma sondagem realizada por Rui Oliveira Costa intitulada "O envolvimento dos portugueses com a Selecção". Os resultados completos estão neste site - http://www.fpf.pt/portal/page/portal/PORTAL_FUTEBOL/Comunicados/DIVERSOS/Apresentação_Seleccao%20versãoFPF.pdf - e basicamente só vieram confirmar o que já todos sabemos: que os portugueses adoram a sua Selecção.

A primeira questão é a seguinte: "Acompanha os jogos da Selecção Nacional de Futebol". Só 8,6% afirmaram não terem interesse na Selecção (também inclui os que não responderam), o resto, 91,4% respondeu que acompanha com interesse (36,9%) ou com muito interesse (54,5%). O que não é nada mau.
O estudo também revelou que as mulheres estão cada vez mais interessadas na Selecção. 40,8% dos "interessados" na Selecção são do sexo feminino. E 49,5% dos "muito interessados" também. Portanto, temos um número aproximadamente igual de homens e mulheres apoiando a turma de Scolari. Assim é que é, meninas!

Também ficou provado que os jovens são quem mais apoia Portugal, mas isso não admira. Não surpreendeu também o facto de as percentagens de interessados serem mais ou menos uniformes em todas as regiões do país.

Metade de nós, habitualmente vê todos os jogos da Selecção (49,6%), enquanto 38,8% de nós vêem "alguns". Também não é de estranhar, já que só há jogos mais ou menos uma vez por mês e são sempre transmitidos em canal aberto, ou seja, é relativamente fácil de acompanhar. Eu não perco um, dentro das minhas possibilidades.

A pergunta seguinte relacionava-se com a importância da Selecção em relação aos clubes. Os resultados também me agradaram. 41,1% dos inquiridos respondeu que a Selecção tem primazia, enquanto que 30,8% afirmaram que o respectivo clube e a Selecção estão empatados. Para mim, que nem sequer tenho clube definido, a Selecção é claramente a mais importante. Ainda no mesmo tema, 58,7% de nós afirmam que preferiam que a Selecção ganhasse o Euro 2008 do que o respectivo clube ganhasse a Liga dos Campeões, contra 29,8%. Eu preferia que os primeiros fossem mais abundantes mas, enfim, um clube português nas competições europeias também está a representar Portugal.

Em relação à ligação afectiva à Selecção, cerca de três quartos dos inquiridos afirmam que esta é, pelo menos, "grande" (73,7%). 39% afirma mesmo que a ligação à Selecção é "muito grande". Vejam lá se adivinham o que eu votaria...

De seguida, perguntou-se que se fosse criado uma espécie de "Estatuto de Sócio/Apoiante da Selecção", como aquela que foi efectivamente criada, o que é que a gente fazia. 54,7 % gostariam de aderir e 33,3% iriam pensar no assunto. Eu, se tivesse participado na sondagem, estaria incluida nos 33,3. Foi assim que reagi à tal iniciativa "Seja Sócio da Selecção". Eu sei que é sem custos, mas mesmo assim, não sei se valeria muito a pena. Neste momento estou a estudar, raramente tenho oportunidade para ir assistir a um jogo, muito menos se é longe de casa, não valeria a pena estar a roubar o lugar a alguém com mais disponibilidade do que eu. Talvez daqui a uns anos...

E, apesar de ter pena de não poder assistir a mais jogos, acredito naquela máxima da música do "Menos Ais" do Mundial: Sem esquecer que, nas grandes emoções, quando grita um português gritam logo 15 milhões".

Por outro lado, 58,3%, quando inquiridos sobre quanto estariam dispostos a pagar para serem sócios, afirmam que só sderem se for grátis. 27,5% aceitam pagar até 10 euros. Eu concordo. Realmente não vale a pena pagar muito, com um ou dois jogos por mês (na melhor das hipóteses). 38,1% afirmaram ainda que o principal benefício de ser sócio são bilhetes mais baratos e 21,5% responderam "Sorteio de viagens para acompanhar a Selecção". Esta foi a última questão colocada.

Enfim, basicamente nada desta sondagem me surpreendeu por aí além. Toda a gente sabe que nós estamos sempre com a Selecção. É por isso que nós ficamos mais felizes durante Campeonatos Internacionais de Selecções, como o Euro 2008.

Cobertura Televisiva


Não gostei nada de saber que, neste Campeonato Europeu, é a TVI a transmitir os jogos no nosso país (juntamente com a SPORT TV). Eu há já algum tempo que não gosto nada daquele canal de televisão, por vários motivos.


A principal razão é porque me irrita solenemente que aquela gente passe a vida a gabar-se: "Ah e tal, nós somos a televisão mais popular do país", "Ah e tal, assistiram 3 milhões de pessoas à novela X e 2,5 milhões à novela Y". Eu odeio convencidos. Repetem há anos esta cantilena que sempre me enjoou.


Além disso, na minha opinião, a TVI é mais uma televisão de novelas e reality shows do que uma televisão de futebol. E de novelas sem grande interesse, na minha opinião. Segundo o que diz a minha avó, os actores são sempre os mesmos, só muda quanto entra um "Ex-Moranguito", os enredos são quase iguais, metem quase sempre uma mulher que seduz homens ricos, amores "impossíveis" cheios de obstáculos, etc, etc. Com os Morangos passa-se mais ou menos a mesma coisa. Em todas as séries há sempre um galã que se "apaixona pela primeira vez" sempre pela primeira miúda que o manda dar uma curva (quando a ouvimos dizer algo do género "Daquele tipo só quero é distância", já se sabe que daí a uns quantos episódios, mais coisa menos coisa, vê-mo-la na marmelada com ele), namoradas entrando na sala no exacto momento em que a outra beija o namorado, papás viciados em trabalho que nunca dão atenção aos meninos e que acabam divorciados, "rebeldes-de-trazer-por-casa" que se metem com alunos mais novos e são malcriados com os "stôres", o típico "stôr" tirano e antiquado (já contei três), a banda que se forma e que salta sempre logo para o estrelato, vá-se lá saber porquê, etc, etc.


Sinceramente, não percebo como é que o pessoal ainda se interessa por estas coisas. Ou gostam de ouvir a mesma letra com uma melodia diferente ou não têm mais nada que fazer. Eu também só vejo porque os meus irmãos insistem em ver aquilo à hora do jantar (ainda são novos, não percebem destas coisas) e, de resto, como na televisão da cozinha não temos TVCabo, a alternativa também não é muito melhor. A novela da SIC não nos atrai. Ainda gostava de "O Preço Certo" com o Jorge Gabriel mas o Fernando Mendes irrita-me. O que vale é que a minha irmã ainda pede para ver o Noddy, isto já perto da hora do telejornal, que sempre é o mal menor.


Para terminar, resta só dizer que não vou com a cara da Manuela Moura Guedes, do Manuel Luís Goucha, da Júlia Pinheiro, do Miguel Sousa Tavares e outra gente que tal.


Como eu estava a dizer, não gosto da ideia de ver a Selecção Nacional no mesmo saco onde estão estes programas. Não deve ter lá muita graça estar a ver um jogo ao mesmo tempo que no rodapé passam informações sobre os episódios das novelas. Ou pior, se eles se põem a fazer campanha de apoio à Selecção com os Morangos. Já foi suficientemente ridículo terem posto a Floribella de cachecol verde e vermelho durante o Mundial 2006.


Além disso, acho um bocado hipócrita só se terem "lembrado" da Selecção Nacional agora que o Euro 2008 está à porta. A RTP está sempre atrás da Selecção, transmitiu todos os jogos do apuramento, fez várias emissões especiais, mesmo durante o Mundial sem o direito de transmitir os jogos, tinha aquele programa diário, o "Alemanha 2006", salvo erro, e enquanto isso, as outras duas televisões "esqueceram-se" da Selecção durante o apuramento. Se a TVI quisesse transmitir o apuramento ganhava os direitos de cobertura quase de certeza com o lucro das (supostas) "audiências elevadas". É puro marketing.


Eu admito que este meu "embirranço" me tornou um bocado tendenciosa e praticamente se transformou em preconceito. Foi por a TVI ter os direitos de transmissão e ter feito quase toda a campanha para "As Sete Maravilhas do Mundo" que eu quase ignorei o evento. Só espero que não aconteça o mesmo com o Europeu.


Também não concordo nada com o facto de termos um único canal de sinal aberto a transmitir os jogos do Euro, ainda por cima quando o outro canal é da TVCabo e pago à parte. E, provavelmente, vai-se fazer como no Mundial e proibir os cafés e restaurantes de ligarem a SPORT TV para os clientes verem. Eu vou ter a SPORT TV pelo menos durante o mês de Junho mas outros, coitados. E depois queixem-se que o nosso país é dos países participantes o que teve menos gente a ver os jogos pela televisão, como aconteceu no Mundial...


Eu estou para aqui a dizer estas coisas mas no fundo, no fundo, nada disto interessa realmente. Não importa que o canal deixe muito a desejar, o que interessa é que ajudem a criar uma onda de apoio à Selecção Nacional, como as do Euro 2004 e do Mundial 2006. Mesmo que tenham outras intenções, mesmo que, para o fazerem, usem como símbolo um morango verde e vermelho ou outra foleirada qualquer, interessa é porem os tugas a gritar "POR-TU-GAL! POR-TU-GAL!". O resto não passa de conversa fiada.

Devaneios depois do anúncio dos Convocados

Há pouco só pude dar a lista dos Convocados mas agora tenho tempo para reflectir sobre essa lista.

Temos dez ou onze novidades em relação ao Mundia 2006. A lista é, mais jogador, menos jogador, a esperada. A maior surpresa foi, de facto, a ausência de Maniche e de Caneira.

Está-se mesmo a ver que estes dois serão, muito provavelmente, os "pobres rejeitadinhos" deste Campeonato. Contudo, são situações diferentes do que o que aconteceu com o Quaresma e com o Vítor Baía, sobretudo no que diz respeito ao Maniche. Ao fim e ao cabo, este tem sido um titular indiscutível ao longo destes anos, marcou dois golos (espectaculares, diga-se de passagem...) em cada Campeonato Internacional em que entrou, tem sido uma das estrelas. Claro que já se tinha dito antes que o Maniche não estava em grande forma, não tem jogado muito, podia não ser Convocado mas mesmo assim... Não estava nada à espera de o ver fora da lista.

Vou ter "saudades" do Maniche durante o Europeu, dos seus golos como tiros de canhão apontados às balizas adversárias. Tal como tive durante aquele ano em que o Scolari não o Convocou. Ele é um dos meus jogadores preferidos. Ainda por cima, agora que o Jorge Ribeiro também se juntou aos Eleitos, ia ser engraçado termos dois manos a jogar por Portugal.

Outra coisa que me surpreendeu foi a Escolha de Hélder Postiga. Durante o último ano, o Mister quase não o Chamou, jogando o Makukula no seu lugar. Eu suponho que seja pelo facto de este último não estar a jogar no Benfica - ele próprio se queixou disso há poucos dias - enquanto que o Hélder, pelo que dizem, tem estado a subir de rendimento.

Tenho pena que o Ma-Makukula tenha de ver o Euro pela televisão mas estou satisfeita por o Hélder vir. O Hélder é outro dos meus jogadores favoritos. Bastante giro, diga-se de passagem... Só que tem um desempenho um bocado irregular. Quando está em forma, é brilhante. Lembram-se daquele golo fenomenal que ele marcou frente à Bélgica, no ano passado? De resto, não dá muito nas vistas. Se o Scolari acha que ele neste momento está a atravessar uma boa fase...

Em todo o caso mantenho o que disse ontem: moderação nas críticas, pessoal!

Mudando de assunto, antes de terminar, ontem à noite estive no site da Federação (http://www.fpf.pt/portal/page/portal/PORTAL_FUTEBOL/Comunicados/DIVERSOS/convocados_euro2008.pdf) a cuscar as fichas dos Convocados e descobri algumas curiosidades. Entre as quais, que o nome verdadeiro do Miguel é Luís Miguel. Pensava que o seu nome futebolístico era o primeiro nome. Também que descobri que o último nome do Quaresma é Bernardo. O seu nome completo é Ricardo Andrade Quaresma Bernardo. Neste caso, ainda bem que ele ficou só com Quaresma porque eu também não gosto nada do nome Bernardo. Dêem uma espreitadela no site para descobrirem mais cusquices.

Enfim, o estágio começa na próxima Segunda-feira, dia 19.

Os Convocados




Scolari divulgou ontem à noite, pelas 20 horas, no Solar do Dão, em Viseu, os 23 Seleccionados para representar Portugal no Euro 2008. Eis a lista completa.

Guarda-Redes (3):
Quim (SL Benfica)
Ricardo (Real Bétis)
Rui Patrício (Sporting CP)

Defesas (8):
Bruno Alves (FC Porto)
Fernando Meira (Estugarda)
Jorge Ribeiro (Boavista FC)
Bosingwa (FC Porto)
Pepe (Real Madrid)
Miguel (Valencia)
Paulo Ferreira (Chelsea FC)
Ricardo Carvalho (Chelsea FC)

Médios (5):
Deco (FC Barcelona)
Petit (SL Benfica)
João Moutinho (Sporting CP)
Miguel Veloso (Sporting CP)
Raul Meireles (FC Porto)

Avançados (7):
Cristiano Ronaldo (Manchester United)
Hélder Postiga (Panathinaikos)
Hugo Almeida (Werder Bremen)
Nani (Manchester United)
Nuno Gomes (SL Benfica)
Ricardo Quaresma (FC Porto)
Simão Sabrosa (Atlético de Madrid)

Como diria César ao preparar-se para passar o Rubicão, "Alea jacta est" - a sorte está lançada. As cartas foram escolhidas, falta descobrir a estratégia para o póquer.

O Euro 2008 começou...

Devaneios antes do anúncio dos Convocados

Como já disse, é hoje que Scolari divulga os convocados para o Euro 2008. Sempre quero ver quem é que a Comunicação Social irá escolher para "pobre rejeitadinho" desta vez. Há quatro anos foi o Vítor Baía. Há dois anos foi o Ricardo Quaresma. Este ano ainda não deu para perceber quem é. Mas aposto que hão-de arranjar um jogador que não faça parte da lista dos convocados que sirva de pretexto para uma polémica.

Porque a Comunicação Social adora uma boa polémica. Ao fim e ao cabo, polémicas são minas de ouro: dão conteúdo para a primeira meia hora dos telejornais e meia duzia de páginas dos jornais, os comentadores têm algo sobre o qual falar ou escrever nas suas habituais crónicas, há assunto para fóruns de opinião e os humoristas têm material para os seus sketches. Por isso, os jornalistas estimulam as chamadas "guerras de palavras" entre figuras públicas, o cidadão comum a criticar o Governo nas reportagens, etc.

Vou dar como exemplo a fuga de gás ou lá o que era na Cidade Universitária, algures em Janeiro passado. Eu lembro-me de ver uma reportagem, já não sei em que canal, em que o(a) jornalista entrevistava uma empregada de uma das faculdades. Ela estava a comentar que ia regressar ao trabalho depois daquele susto, blá, blá, blá. A disposição dela era a de quem vai para o trabalho como todos os dias, quase como se nada de anormal se tivesse passado. A certa altura, porém, o(a) jornalista pergunta algo do género: "Mas não tem medo de voltar ao trabalho depois de tudo o que aconteceu?". Via-se logo que queria puxar um "Ah sim, isto só prova que a Faculdade não tem segurança nenhuma, a culpa é do Governo, aquilo é uma cambada de incompetentes, etc, etc" ou algo parecido. O que vale é que a empregada disse que não.

É por isso que vou confiando cada vez menos na Comunicação Social. Caem que nem abutres sobre a desgraça das pessoas de modo a ganhar audiências. E o caso da "Casa dos Horrores" na Áustria é outro exemplo. Todos os dias surgem com novos pornenores doentios sobre este caso macabro, até enjoa.

Em todo o caso, voltando à questão dos rejeitadinhos, na altura destes dois casos também não percebi muito bem porque é que o Mister embirrou com estes. Ao fim e ao cabo, no ano de 2004 o Vítor Baía foi o melhor guarda-redes da Europa, e, em 2006, o Quaresma foi um dos melhores jogadores da Liga. E ainda hoje não percebo muito bem, sobretudo o caso do Vítor.

Por outro lado, houve claramente um exagero, uma exploração dos casos até à exaustão por parte dos media. No primeiro caso, não sei como é que alguém pensou que Scolari iria Convocar um jogador que ele nunca Convocara antes, nem uma vez, e depois fizeram um escarcéu daquele tamanho. No segundo caso tenho menos argumentos mas, ainda assim, nós já tínhamos três jogadores óptimos na posição do Quaresma: o Figo, o Ronaldo e o Simão. Ia ser muito difícil conciliar quatro jogadores óptimos. Sei que é uma desculpa fraca mas, por outro lado, não foi pela falta do Vítor Baía que nós perdemos com a Grécia, nem foi pela falta do Quaresma que a gente perdeu com a França e depois com a Alemanha. E, de resto, depois do Mundial, o Quaresma passou a pertencer aos habituais da Selecção.

Faço agora uns dois apartes. Primeiro: há dois anos, pouco depois dos Convocados, contaram-me uma anedota. Pergunta: "Porque é que o Scolari não Convocou o Quaresma? Resposta: Por causa do Maniche. Ele não pode ter um olho do burro e outro no cigano." Não tem assim grande piada, mas, se se lembrarem, o Scolari convocou o Quaresma na primeira jornada do Apuramento para o Euro, em Setembro, mas ele falhou porque se lesionou. O Maniche também foi Convocado nessa e jogou normalmente. Na jornada seguinte, em Outubro, o Quaresma não foi Convocado, acho, porque ainda não estava em forma. Essa jornada foi também a última em que o Maniche participou antes do jogo com a Polónia, em Setembro do ano passado. A partir dessa altura, durante mais ou menos um ano, o Scolari deixou de Convocar o Maniche mas passou a Convocar o Quaresma. Ou seja, sempre que o Quaresma jogava o Maniche não jogava e vice-versa. E eu lembrei-me da anedota e pensei: "A brincar, a brincar...". Mas felizmente voltou tudo ao "normal" depois de o Quaresma e o Maniche jogarem ambos contra a Polónia, em Setembro.

Segundo aparte: gostava de imaginar o que diriam os críticos da época "Pré-Mundial", que julgavam que o Scolari embirrara com o Quaresma, se soubessem que seria "para defender o menino" que o Mister "agrediria" um sérvio e seria suspenso por três jogos por causa disso...

Voltando ao assunto dos "rejeitadinhos", quero ainda dizer que a gente tem muito a mania de nos armarmos em treinadores de bancada, de televisão, de rádio, de coluna do jornal, de blog, de sofá da sala, de café da esquina, etc, etc, mas se a gente estivesse no lugar do Mister provavelmente não faríamos melhor trabalho do que ele faz. Não estou a negar o direito à opinião, só estou a apelar a uma maior moderação nas críticas. O Seleccionador não é estúpido, ele sabe o que faz e as razões porque o faz.

Por fim, acho que o Mister precisa é do nosso apoio, não precisa que critiquem negativamente todas as suas decisões. Agora é esperar para ver o que sai da Conferência de Imprensa hoje às oito da noite.

Mudemos de assunto. Queria falar das minhas expectativas para o Euro 2008. Por um lado, estou confiante de que a Selecção vai fazer um bom desempenho no Campeonato. Por outro lado, tenho uma certa reserva. O apuramento para o Euro não foi exactamente brilhante, recentemente perdemos frente à Itália e à Grécia, duas das nossas adversárias directas e pertencentes ao lote dos favoritos. Temos óptimos jogadores mas falta construir uma equipa sólida, diz Scolari e outros. Vai ser difícil, talvez mais difícil do que no Euro 2004 e no Mundial 2006. Nesta situação, a expressão "A vida consite não em ter boas cartas na mão mas sim em saber jogar as que se tem" e a fábula da Lebre e da Tartaruga aplicam-se que nem ginjas. Se a gente tem boas armas mas não as sabe gerir, estas de nada servem.

A grande questão é se Scolari será capaz de transformar uma Selecção de estrelas desarticuladas numa equipa forte, candidata ao título. Não é fácil, longe disso. Mas eu acredito no nosso Seleccionador. Ele já nos levou aonde outros nunca nos levaram, porque é que não nos leva desta vez? Eu confio nele, mas espero que ele e os marmanjos que ele Convocar se empenhem a sério em treinarem para o Euro. Estou a contar com isso, espero que não me desiludem.

Enfim, a ver no que isto vai dar...