Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Meu Clube É a Seleção!

Os pensamentos de uma simples adepta da Seleção Nacional, que não percebe assim tanto de futebol mas que é completamente maluca pela Equipa de Todos Nós.

Vai ser desta!

03.jpgNa próxima quinta-feira, dia 8 de outubro, a Seleção Portuguesa de Futebol receberá a sua congénere dinamarquena no Estádio Municipal de Braga. Três dias depois, deslocar-se-á a Belgrado, na Sérvia, para defrontar a seleção local. Estes serão os últimos encontros da Equipa de Todos Nós na Qualificação para o Campeonato Europeu da modalidade, que se realizará no próximo verão, em França. Basta a Portugal amealhar um ponto para garantir um lugar no Euro 2016.

 

Fernando Santos divulgou os Convocados para esta última dupla jornada na última sexta-feira, sem surpresas de maior. Temos vários regressos, alguns dos quais após ausência prolongada, como Luís Neto e Rafa. As grandes novidades são as estreias de Ventura, guarda-redes do Belenenses, e Nélson Semedo, do Benfica. Destacaria também a Chamada de André André, que tem atravessado um momento muito bom no F.C. Porto. Tenho, contudo, uma certa pena que Gonçalo Guedes e Rúben Neves tenham falhado esta Convocatória - suponho que ainda sejam novinhos para estas andanças.

 

Mais do que tudo, sinto-me satisfeita por os três clubes grandes terem contribuído de forma equitativa para esta Convocatória e ainda sobrarem jogadores selecionáveis em cada um deles. Há uns quatro ou cinco anos, isso dificilmente aconteceria.

 dinamarqueses festejam.jpeg

 

Visto que os últimos jogos decorreram há relativamente pouco tempo, ainda nos recordamos bem do ponto da situação. Conhecemos muito bem o adversário do primeiro jogo - tal como referi há um ano, tem sido o adversário que mais vezes temos enfrentado nos últimos anos, sempre em jogos complicados, de uma maneira ou de outra. Nesse aspeto, o jogo de quinta-feira será, provavelmente, aquele que abordaremos com maior tranquilidade desde 2007.

 

E daí talvez não. Os dinamarqueses têm muito mais a perder do que nós neste jogo: será o último deles na Qualificação e estão numa posição menos favorável para garantir o Apuramento direto. Precisam de ganhar. E, apesar de estarem pior agora que há uns anos, têm um historial de, como eu gosto de dizer, nos complicar a vida à grande e à dinamarquesa - nomeadamente há quatro anos, em que estávamos a um ponto do Apuramento direto e deixámo-lo escapar.

 

Fernando Santos parece ter noção disso. "Nós só temos um objetivo em cada jogo, que é vencer. É com esse objetivo que vamos e, se alcançarmos esse resultado, garantimos o Apuramento (...). Para a Dinamarca é uma final, porque é o seu último jogo, mas nós temos de pensar como se fosse também o nosso último jogo." Não adiar as coisas para o jogo com a Sérvia.

 

Não que ache que os sérvios nos vão dar grandes problemas - não mais do que os dinamarqueses, pelo menos. Os sérvios estão fora da corrida no que toca ao Apuramento, com apenas um ponto. Por um lado, não se devem esforçar por aí além. Por outro lado, não terão nada a perder. Equipas assim podem ser perigosas, sobretudo quando a outra parte está mais pressionada. Adiar a decisão para domingo - ainda por cima um jogo fora - pode ser arriscado. 

 

ronaldo entre sérvios.jpg

   

Eu preferia mesmo resolver tudo quinta-feira. Para começar, será um jogo em casa e já está esgotado (sou capaz de apostar que foi graças à campanha de marketing que a Federação começou logo a seguir ao jogo com a Albânia). As trinta mil pessoas que irão assistir ao jogo, que pagaram bilhete, merecem festejar o Apuramento com a Seleção, tal como aconteceu comigo há dez anos, aquando de um jogo com o Liechenstein.

 

Depois, existem razões mais poéticas. Foi com a Dinamarca que recuperámos a esperança depois de um mau arranque do Apuramento, que começámos a série de vitórias que nos colocou onde estamos hoje. Seria perfeito selarmos a Qualificação frente ao mesmo adversário. Além de que, na quinta-feira, completar-se-ão cinco anos desde um outro jogo com a Dinamarca muito especial para mim: o primeiro de Paulo Bento como treinador, uma das noites mais felizes da Seleção de que me recordo. Seria perfeito se, cinco anos depois, voltássemos a ter uma noite feliz - por nos Qualificarmos antes da altura habitual pela primeira vez em dez anos (não conto a Qualificação para o Euro 2008, pois esta não teve playoffs). 

 

Conforme já tinha escrito antes, estou muito confiante num Apuramento direto, mais confiante do que costumo estar no que toca à Seleção. Acho que vai ser desta que escapamos à inevitabilidade dos playoffs. Ando ansiosa por esse último passo - uma parte de mim quer já pensar na preparação para o Euro 2016, nos eventuais particulares em novembro. Mesmo assim, não me atrevo a pensar nisso antes de a Qualificação estar matematicamente garantida.

 

 

Antes de terminar, quero só avisar que, visto só termos dois dias de intervalo entre os dois próximos jogos - e, se tudo correr bem na quinta-feira, o segundo só servirá para cumprir calendário - é possível que condense a análise aos dois jogos numa única entrada. Logo se vê. O que espero é que, quando voltar a escrever neste blogue, serja para celebrar o nosso primeiro Apuramento direto desde 2007.