Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Meu Clube É a Seleção!

Os pensamentos de uma simples adepta da Seleção Nacional, que não percebe assim tanto de futebol mas que é completamente maluca pela Equipa de Todos Nós.

Quando estala a polémica, a Selecção é que se lixa

Visto que, neste momento, a Selecção atravessa uma situação complicada, achei por bem falar disso cá no blogue. Era para ter escrito mais cedo, mas estive fora e só agora tenho acesso à Internet.

Confesso que só muito recentemente é que consegui perceber ao certo do que é que se trata. Em férias não há horários fixos, nem sempre conseguia cumprir o ritual de ver o noticiário durante o jantar. Se bem que ainda existam alguns pormenores que me causam confusão nesta história das ofensas que o Seleccionador Nacional terá dirigido aos funcionários da Autoridade Anti-dopagem. Mas já lá vamos.

Segundo o Correio da Manhã de Quarta-feira, dia 11 de Agosto, Carlos Queiroz não terá gostado de ver a rotina do estágio de preparação do Mundial 2010 perturbada pela súbita aparição da Autoridade Anti-dopagem (embora não saiba se é assim que se chama). À boa maneira portuguesa, Queiroz terá expressado dúvidas sobre a honra da mãe do director da Autoridade – Luís Horta – e o senhor terá ficado tão perturbado que não conseguiu analisar correctamente a urina de um dos jogadores.

Isto supostamente passou-se há três meses, durante o estágio na Covilhã. Porque é que só veio a lume há poucas semanas?

Talvez tenha sido a própria Federação Portuguesa de Futebol a abafar o caso na altura, para não perturbar a preparação do Campeonato do Mundo. Sim, porque se um órgão qualquer de Comunicação Social tivesse sabido, não deixaria escapar a oportunidade de lançar a bomba mediática cujos efeitos seriam muito mais significativos do numa altura em que a Selecção se encontrava no centro das atenções que estão a ser agora.


Já li alguns artigos de opinião em que comparavam Queiroz a José Sócrates. Vou fazer o mesmo agora: como não conseguiram tirar o actual Primeiro-Ministro do Governo através de eleições legislativas, há quem insinue que o caso Face Oculta, surgido poucas semanas depois do escrutínio, não passou de uma segunda tentativa de tirar Sócrates do lugar de Primeiro-Ministro. Este caso dos insultos à Autoridade Anti-dopagem é capaz de ser o caso Face Oculta de Queiroz. No CM diziam que havia gente da FPF que desejava a saída de Carlos Queiroz do cargo de Seleccionador Nacional, devido ao desempenho abaixo do desejado do Mundial e à falta de progresso assinalável nas Selecções jovens. E como não conseguiram livrar-se de Queiroz depois do Campeonato do Mundo… Há quem diga que, se nos tivéssemos saído melhor no Mundial, ninguém saberia deste caso.

De qualquer forma, parece que Queiroz terá mesmo proferido as alegadas ofensas. O que é sempre reprovável, é claro. Contudo, não sei se estarão a exagerar, a fazer uma tempestade num copo sem água, como diz o Professor. Quer dizer, não me parece que se trate de uma obstrução à Autoridade Anti-dopagem que, pelos vistos, pode dar direito entre dois a quatro anos de suspensão – o que, neste caso, significaria que Queiroz deixaria de ser Seleccionador Nacional. Tanto quanto percebi, o Professor não se queixou no controlo, queixou-se do mau timing. Não, isto não é mais grave do que o murro de João Pinto ao árbitro ou do que o soco-que-não-chegou-a-sê-lo de Scolari a Dragutinovic. Mas já ouvi dizer que tencionam apresentar uma queixa-crime, com possibilidade de prisão. Por amor de Deus! Por essa lógica, prendiam quase todos os profissionais do futebol. Basta olhar para os lábios de jogadores de treinadores durante os jogos para adivinhar facilmente que estão a dirigir palavrões ao árbitro e/ou aos adversários, mas ninguém faz nada. Haja senso! Em todo o caso, na minha opinião, o actual Seleccionador não deveria escapar impune.

O que mais me irrita no meio desta história toda é que, quer a razão esteja do lado de Queiroz ou da Autoridade Anti-dopagem, a Selecção Nacional é que – passe a expressão – se lixa. Vimos de um Campeonato do Mundo em que ficámos abaixo das expectativas, vamos começar a fase de apuramento para o Campeonato da Europa. Supostamente, devíamos estar todos empenhados em começar bem a qualificação para não termos de passar pelas dificuldades por que passámos na Qualificação para o Mundial, mas nãããããããããããããoooooo! Tinha de surgir este caso, tinha de se dar mais uma machadada na credibilidade da Selecção. Muito obrigada!

Ainda recentemente, pensava que, neste momento, o melhor para a Selecção era que Carlos Queiroz continuasse à frente do comando técnico. Mas agora, não sei. Mesmo que o Seleccionador saia ilibado, ou que o caso seja arquivado, a sua credibilidade está irremediavelmente (ainda mais) comprometida. Além disso, pelas bocas que alguns jogadores lançaram durante o Mundial e pelo facto de só o Ricardo Costa ter defendido Queiroz (mas como este não é titular habitual, as suas intenções são duvidosas, pelo menos para mim - sem ofensa). Parece que a relação entre jogadores e treinador já viu melhores dias. Eu ainda acho que, a curto prazo, a troca de Seleccionadores traria mais desvantagens do que vantagens, mas já não sei se valerá a pena manter o actual Seleccionador. Não sei realmente o que pensar. Para mim, o bem-estar da Selecção Nacional está acima de tudo, mas parece que sou a única a pensar assim… Só quero que esta história acabe de vez e que a Selecção seja o menos prejudicada possível.