Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Meu Clube É a Seleção!

Os pensamentos de uma simples adepta da Seleção Nacional, que não percebe assim tanto de futebol mas que é completamente maluca pela Equipa de Todos Nós.

Inesquecível, espero eu

Na próxima quarta-feira, dia 15 de agosto, no Estádio do Algarve, a Seleção Portuguesa de futebol receberá, num jogo particular, a sua congénere... pana... panamesa? Do Panamá, pronto! Será o primeiro encontro do capítulo da Qualificação para o Campeonato do Mundo de Futebol, a realizar-se em 2014, no Brasil.

A Convocatória para este particular foi divulgada ontem. Paulo Bento praticamente repetiu a Lista que representou o País no Euro 2012, apenas trocando Ricardo Quaresma - ao que parece, desentendido com o seu clube, Besiktas - por Carlos Martins - que falhou o Europeu por lesão mas regressou em grande forma. Inicialmente, estranhei o facto de o Selecionador não ter Chamado ninguém novo à Turma das Quinas, de não ter aproveitado este particular para procurar alternativas. Mas, realmente, é difícil descobrir novos talentos literalmente nesta altura do campeonato, antes de arrancarem as ligas profissionais, tal como o próprio Paulo Bento explicou ontem, na Conferência de Imprensa. 

Desta vez passa, mas espero que Paulo Bento ande mesmo à procura de sangue novo para a Equipa de Todos Nós. A filosofia em-equipa-que-ganha-não-se-mexe é perigosa. Tenho medo que a Seleção fique demasiado dependente do núcleo duro, que se ressinta demasiado da eventual ausência por lesão de habituais titulares. Tal já aconteceu em outubro de 2011, resultando numa vitória sofria frente à Islândia e numa derrota frente à Dinamarca. Não queremos perder pontos desnecessariamente nesta Qualificação - já os perdemos em dose mais do que suficiente nas últimas três Qualificações. 

Esta será a primeira vez que defrontamos o Panamá, que se encontra em 54º lugar no ranking da FIFA. Em princípio, estará ao nosso alcance, mas nunca se sabe... Espera-se uma vitória, mas não me admiraria se saíssemos do Estádio do Algarve com um empate. Depois dos últimos três particulares... Já se sabe, estes jogos em agosto, antes do arranque oficial da época futebolística, costumam servir, em geral, para motivar a equipa com uma vitória fácil e esquecível e, eventualmente, fazer uma ou outra experiência. Mas como a Seleção é praticamente a mesma que disputou o Europeu, acho que esta última hipótese não se coloca...

Não há muito mais a dizer sobre este jogo. Daí esta entrada estar tão fraquinha... Depois da emoção, da qualidade, do impacto que foi o Europeu, jogos como este parecem insignificantes, uma fraca imitação do melhor que a Turma das Quinas é capaz de oferecer. Nenhum membro dos Simple Plan ou dos Linkin Park fará questão de acompanhar um jogo da Seleção Portuguesa contra o Panamá. Noventa e nove por cento do Mundo não quererá saber deste jogo. 

Talvez deva começar a habituar-me. Os próximos adversários serão do nível do Panamá, dificilmente darão grande interesse aos jogos.

Ora, será com o intuito de contrariar este espírito desencantado, de falta de entusiasmo, que na próxima segunda-feira tenciono assistir ao treino aberto da Seleção no Estádio Nacional. Um ano depois da minha última visita ao Jamor, volto, finalmente, a ter nova oportunidade de ver um treino da Equipa de Todos Nós. E, desta feita, quero levar a minha irmã comigo - isso obriga a aprovação parental, que neste momento ainda está pendente... Mas devemos conseguir luz verde.

Esta jornada particular da Seleção tem tudo para não ficar na memória, como já foi assinalado em cima. No entanto, tenciono deixá-la gravada pelo menos na minha memória, na minha e na da minha irmã, visitando a Seleção, talvez conseguindo um autógrafo ou uma fotografia (que à terceira seja de vez...). A maior parte das pessoas esquecer-se-á desta jornada numa questão de dias. Por meu lado, farei tudo para que, pelo menos para mim e para a minha irmã, se torne inesquecível.