Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Meu Clube É a Seleção!

Os pensamentos de uma simples adepta da Seleção Nacional, que não percebe assim tanto de futebol mas que é completamente maluca pela Equipa de Todos Nós.

E depois tragam a Taça na bagagem!

No momento em que escrevo isto, a Selecção deve estar a embarcar no avião da TAP que levará os marmanjos até Joanesburgo, na África do Sul. Estes depois ficam hospedados em Magaliesburg.

Depois deste Mundial, devo já saber o nome de muitas mais cidades sul-africanas. Para já, já conheco Magaliesburg, Joanesburgo, Durban, a Cidade do Cabo e Port Elizabeth. O que vai ser útil para quando jogar aos "Países".

Na Quinta-feira passada, a Selecção esteve com o Primeiro-Ministro em Oeiras. José Sócrates afirma-se "confiante", já que "temos alguns dos melhores jogadores do Mundo". Não deixa de ser verdade esta última parte, só que isso nem sempre é suficiente... De resto, se Sócrates não estivesse optimista é que era mesmo esquisito. Por outro lado, o discurso dele não difere dos de outras personalidades, mas aposto que deve haver por aí muita pessoa importante que não acredita e não admite que não acredita. Só por isso, o Mourinho merece o meu respeito.

É claro que há muita gente que não se coibe de dar a sua opinião no espaço dos comentários das notícias na Internet. Eu evito ter de os ler, pois existem uns quantos de nível baixíssimo que me enchem de raiva. É por estas e por outras que escrevo este blogue: para afirmar que acredito, que apoio a Selecção tanto nas derrotas como nas vitórias, ontem, hoje e amanhã! E que se dane o que os outros pensem! Além disso, deve haver por aí muita gente a apoiar mas que não tem coragem de o admitir com tantos descrentes. Pode ser que, se alguns de nós derem o primeiro passo, outras vozes percam a vergonha e se juntem ao coro.

Foi também por isso que, também na Quinta-feira, pendurei a bandeira portuguesa à janela. Já tinha perdido a minha antiga, por isso tive de comprar uma à loja chinesa do outro lado da rua. Era o local que estava mais à mão, se pudesse comprava num local mais respeitável, mas o que conta é a intenção. Desta vez, quase não vejo bandeiras à janela, pelo menos não no sítio onde moro. Será por termos um Seleccionador que não estimula tanto esse tipo de coisas? Será por causa da fase de qualificação tão resvés, Campo de Ourique? Eu não preciso que me peçam para apoiar a Selecção. Tanto quanto me lembre, nunca precisei. Admito que, no Euro 2004, o percurso brilhante fez-me apoiar com mais entusiasmo, mas já apoiava antes. Scolari foi catalisador, não foi reagente. E agora sou adepta incondicional. Incondicional. É pena é que muitas pessoas não sejam assim. Só mostra hipocrisia.

Em todo o caso, hoje não faltaram demostrações de apoio. Segundo a minha avó, foram cerca de oitenta mil pessoas à despedida da Selecção no Parque Eduardo VII. Só não sei se foi pela Selecção ou pelo Tony Carreira... Depois, segundo o que vi na televisão, cerca de quinhentos adeptos foram ao Aeroporto da Portela despedirem-se dos marmanjos. A propósito, hoje parece que, pelo menos na RTP, houveram imensos programas relacionados com a Selecção. E houve uma certa altura, à hora dos noticiários das oito, em que os três canais generalistas só falavam da partida para a África do Sul. O que me pareceu um bocadinho exagerado, mesmo assim. Se fosse dia de jogo, talvez se justificasse tanto aparato, mas hoje...? De resto, como tinha imenso que estudar, não pude acompanhar a programação. Quando foi o Euro 2008, nesse dia estava livre. Mas também como um dos apresentadores era o João Baião, acho que não perdi muito...

Já que falamos de programas de televisão relacionados com o Mundial, ultimamente têm passado carradas deles e eu não tenho tempo de os ver todos. Nem paciência... Tenho vários episódios de O Regresso dos Incríveis gravados, mas só vi dois ou três e nenhum até ao fim. Mas hoje descobri o programa Ligados a Portugal. Este mostra os bastidores da Selecção e - maravilha! - nem cinco minutos dura. Vou, por isso, tentar acompanhá-lo, um pouco para compensar o facto de, este ano, não haver Tudo Por Todos nem nenhum site do género (que eu tenha descoberto, pelo menos...).

Entretanto, a grande estrela do nosso primeiro adversário, Costa do Marfim, encontra-se em dúvida para o Mundial. Didier Drogba lesionou-se durante um particular contra o Japão e teve de ser operado. Apesar de ser sempre lamentável que um jogador do gabarito de Drogba falhe um Campeonato do Mundo, talvez isso contribua para enfraquecer o nosso adversário. Mas assim não tem tanta piada. Qual é o gozo de ganharmos se os adversários não utilizaram todas as armas que têm? Por outro lado, segundo um comentador da SIC, talvez a ausência de Drogba tenha o efeito inverso. Talvez a equipa deixe tanto de se encostar à estrela e passe a funcionar melhor como colectivo. Isso fez-me lembrar o particular que disputámos com o Brasil em 2007. Lembro-me que, na primeira parte, a Selecção apoiava-se mais em Ronaldo, mas depois de ele ser substituído, ficou mais coesa e foi aí que apareceram os golos.

O que nos leva de volta à célebre frase: Prognósticos, só no fim do jogo! Que seja o que Deus quiser!

Na próxima Terça-feira, temos o último jogo de preparação. Desta vez é frente a Moçambique. O Mundial, depois, começa daí a dois dias.

No momento em que escrevo isto, os jogadores já devem estar a voar em direcção a Joanesburgo. Que façam boa viagem e que depois tragam a Taça na bagagem!

Em relação aos adeptos, faço um apelo: não liguem aos inúmeros Velhos do Restelo que por aí andam. Ninguém pode fazer profecias certeiras no que toca ao futebol. Tudo é possível. E apoiar ajuda mais do que mandar bocas azedas. Não tenham medo de gritar: POR-TU-GAL! POR-TU-GAL!