Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Meu Clube É a Seleção!

Os pensamentos de uma simples adepta da Seleção Nacional, que não percebe assim tanto de futebol mas que é completamente maluca pela Equipa de Todos Nós.

Bósnia 0 Portugal 1 - "Quatro, sei, oito, dez - África do Sul agora é a tua vez!" - Eu sabia que conseguíamos!

Eu sabia que conseguíamos!


Ontem à noite, dia 18 de Novembro de 2009, Quarta-feira, a Selecção Nacional foi a Zenica, na Bósnia, vencer a respectiva Selecção por uma bola a zero sem resposta, finalmente carimbando desta forma o passaporte para o Campeonato do Mundo de 2010, a realizar na África do Sul. O autor do golo foi Raúl Meireles mas o mérito da vitória é de todo o colectivo, do Seleccionador ao Rui Patrício, que, apesar das dificuldades, de algumas críticas destrutivas, da descrença de muitos, conseguiu ultrapassar tudo isso e ganhar um lugar no Mundial. Como estou orgulhosa deles!


Para além da equipa bósnia, a Selecção tinha mais dois adversários: o relvado em péssimo estado e os adeptos muito pouco amigáveis. E se, noutros resultados menos positivos, o relvado tenha sido invocado como desculpa, perdão, factor que contribuíra para o escasso número de golos, ontem apenas impediu que jogassem um futebol mais bonito. Não foi suficiente para parar os marmanjos, que chegaram mesmo a fazer um jogo melhor do que aquele que fizeram no Inferno da Luz, sobretudo na segunda parte. Em minha casa, estivemos a jantar durante a primeira parte e eu estava tão nervosa que perdi o apetite - a minha mãe julgou que não comia por ter andado a pestiscar antes do jantar, por isso obrigou-me a comer um pouco mais do que queria e perdi a oportunidade para cortar nas calorias... Mas não tinha razão para estar nervosa. Se bem que os portugueses não atacassem muito, defendiam bem quando os bósnios ameaçavam a nossa baliza. Nas poucas vezes em que a bola conseguia passar pelos nossos defesas e ameaçar a nossa baliza, o Eduardo estava lá para a defender.


Na segunda parte, veio o golo de Raul Meireles numa jogada em que também entraram Liedson e Nani. O golo fez-me saltar a mim e ao meu pai saltar do sofá e contribuiu para expulsar de vez os nervos, pois a partir desse momento, se os bósnios quisessem passar tinham de nos marcar três golos. Foi também na ressaca dos golos que os milhares de bósnios se calaram finalmente e os poucos portugueses presentes no estádio se fizeram ouvir. E no resto do jogo, os marmanjos ficaram bem mais soltos e podíamos ter dilatado o resultado. Ainda falhámos umas quantas oportunidades excelentes. Noutras circunstâncias fartar-me-ia de praguejar mas naquela altura, com o jogo praticamente resolvido, limitei-me a alguns refilanços bem-humorados.


O triste episódio ocorrido aos 75 minutos, aproximadamente, é que estragou o jogo. Quando aquele jogador bósnio foi expulso, os adeptos começaram logo a arremessar coisas para o campo. Eu vi logo que alguém ia sair dali magoado e acabou por ser o árbitro assistente. Como o Simão estava mesmo à frente dele, julgo que ele é que era o alvo. Se ele tivesse de facto sido atingido, ia haver confusão ainda maior... Em todo o caso, não deixa de ser um episódio degradante, que só contribui para estragar o futebol. Se tivesse sido ao contrário, morreria de vergonha.


Finalmente, o jogo terminou e com o fim do jogo, a entrada no Mundial ficou definitiva e finalmente selada. Eu queria ver em directo os jogadores a celebrarem o apuramento que custou tanto a carimbar mas a TVI achou por bem escolher uma pausa para publicidade naquele momento. Eu ainda fiquei um bocado à espera que acabasse para ver as flash-interviews, na esperança de que fosse aqueles intervalos de pouco mais de um minuto, só com dois ou três anúncios, mas não foi. Acabei por me fartar, desliguei a televisão e a TVI desceu ainda mais na minha consideração. É por estas e por outras que, no que toca a canais generalistas, sem contar com os telejornais, já quase só vejo a RTP 2.


Mais tarde, estive um bocado a oscilar entre a SICNotícias e a RTPN, como costumo fazer em dias de jogo, para ver a Conferência de Imprensa do Seleccionador e ouvir um ou outro comentário sobre o jogo. Na SIC, estava o Rui Santos e outro senhor de idade avançada cujo nome não memorizei a comentar. Este último, depois de se rever a flash-interview de Carlos Queiroz, citou uma das frases que o Professor disse. Se não me engano, algo tipo "obrigado a todos que acreditaram em nós". O senhor considerou esta frase "infeliz", por estar subjacente uma crítica àqueles que, a certa altura, deixaram de acreditar (o próprio comentador admite que foi uma dessas pessoas), mas eu concordo com o Seleccionador. Com todo o respeito pelo senhor comentador e pela sua opinião, estaria ele à espera que Queiroz viesse agradecer àqueles interesseiros e hipócritas que, nas alturas mais difíceis da qualificação deixaram de apoiar e acreditar mas quando a Selecção encontrou de novo o caminho voltaram de novo a apoiar?!?


Eu fui uma daquelas que nunca deixou de apoiar, de acreditar. Admito que apanhei imensos baldes de água fria, que houve alturas em que me senti uma parva por continuar a acreditar, que estive a "um bocadinho assim" de desistir, que nunca deixei de ter medo que tudo falhasse. E teria sido bem mais fácil ter feito isso. Concordo plenamente com o que o jornalista Carlos Daniel escreveu uma vez no Record, se não me engano na véspera do último jogo frente à Dinamarca: é mais difícil ser-se optimista do que pessismista. Na altura, entusiasmada como andava com o jogo, não compreendi bem porque dizia ele isso, mas no dia seguinte, depois do jogo, percebi perfeitamente.


Mas agora estou feliz. Agora vou poder esfregar esta vitória na cara de todos os que me disseram que já estava tudo perdido. Ah, ah, ah! Engulam esta!


Ainda neste assunto dos críticos, ontem o Ricardo Carvalho surpreendeu-me pela positiva, tanto dentro como fora do campo. Admitiu que a qualificação começou mal, que perdemos pontos desnecessariamente, que "merecemos as críticas e temos de assumi-las", contrariando a fama que a Selecção ganhou nos últimos anos, sobretudo no tempo do Scolari, de não lidar bem com as críticas. Confesso que, neste tópico, o Ricardo é melhor pessoa do que eu, pois eu levo um bocado a mal as críticas à Selecção. Suponho que seja normal, que uma pessoa não goste de ouvir e ler seu clube a ser criticado. Mas também às vezes irrita-me ouvir e ler pessoas a chamarem "incompetente" ao Seleccionador, a porem em causa as suas Escolhas, a sugerirem outros nomes para a Selecção, não tanto os comentadores desportivos, mas aqueles que escrevem para os jornais ou participam nos fóruns de opinião. Os comentadores ainda têm a experiência de vários anos a lidarem com o futebol, mas será que as outras pessoas se julgam mais entendidas na matéria do que Carlos Queiroz que ganha o pão para a boca a observar jogadores portugueses e a Escolhê-los para a Selecção? Também eu às vezes não concordo com algumas opções tomadas pelo Professor, mas eu não percebo assim tanto de futebol para me pôr a questionar os jogadores que Convoca... Eu não estou a criticar as pessoas por terem e exprimirem a sua opinião, critico-as é pela arrogância das suas opiniões.


Também já ouvi e li muito que tudo isto até seria desnecessário, que podíamos perfeitamente ter garantido a qualificação mais cedo, que o grupo não era assim tão difícil, etc. Até têm razão. Penso que aquilo que impediu uma qualificação bem menos sofrida foi o facto de termos mudado de Seleccionador, que obriga sempre a um tempo de adaptação, jogadores lesionados, algum azar e alguma ansiedade que levou a problemas na finalização (um marmanjo consegue passar a defesa e ficar à frente da baliza mas, na altura de rematar enerva-se e chuta ao lado). Mas conseguimos ultrapassar isto tudo, graças a Deus. Graças a Deus é como quem diz... graças ao espírito colectivo, à persistência e a alguma sorte.
Quando confrontado com o facto de podermos ter encerrado a qualificação mais cedo, o Ricardo Carvalho afirmou que desta forma soube melhor. Eu até concordo com ele. O apuramento para Mundial 2006 não teve grandes atribulações, foi relativamente "fácil", mas a certa altura comecei a sentir saudades de um jogo mais renhido, mais complicado, de alguma adrenalina. nesta perspectiva, a qualificação para o Europeu 2008 foi melhor. Em relação a esta fase de qualificação, no entanto, acho que houve adrenalina a mais... Mas, sim, fez com que o triunfo tão dificilmente alcançado saiba tão bem...
Além disso, termos de ir a play-off deu-nos mais dois jogos de Selecção oficiais. Como, para mim, quanto mais jogos melhor, isto constitui uma grande vantagem. Agora só voltamos a ter jogos oficiais em Junho do próximo ano. Até ao anúncio dos Convocados, temos de nos contentar com um ou outro particular. Que, a menos que o adversário seja os grandes, tipo Itália ou Brasil, não tem nem metade da emoção de um jogo oficial.


Agora já se conhecem as 32 selecções que, no próximo Verão, vão disputar a Taça do Mundo: nós, África do Sul, Nigéria, Camarões, Nova Zelândia, Japão, Holanda, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Austrália, Estados Unidos, Brasil, Gana, Inglaterra, Paraguai, Espanha, Dinamarca, Costa do Marfim, Chile, Alemanha, Itália, México, Sérvia, Suíça, Argentina, Honduras, Eslováquia, Argélia, França, Eslovénia, Grécia e Uruguai.


A França, como nós teve de ir a play-offs para se qualificar mas, ao contrário de nós, necessitou de uma "mão de Deus" para se qualificar. Enquanto estava a alternar entre a SICNotícias e a RTPN, ouvi que a Irlanda estava a ganhar à França e iam a prolongamento. Na altura, fiquei satisfeita e um pouco esperançosa de que os franceses falhassem o Mundial. Perdoem-me esta falta de fair-play mas ainda não esqueci o jogo do Mundial 2006. E quando soube que eles tinham dado a volta ao texto com um golo, fruto de uma jogada em que Thierry Henry ajeitou a bola com a mão antes de centrar para o marcador, perante a indiferença do árbitro pensei logo que era típico da França. Pelos vistos a FIFA não podia deixar que uma das Selecções mais rentáveis falhasse o Mundial... Eu sei que nós beneficiámos com a alteração do regulamento dos play-offs, que se tivéssemos de defrontar a Grécia ou a própria França estávamos ainda mais tramados, mas nós vencemos o play-off com toda a justiça, não precisámos de "favores" do árbitro para passarmos. Mas não me supreende, de facto. Não falo do penálti que nos expulsou do Mundial (não tenho a certeza se era legal ou não, embora tenha ficado claro, na final, que a França não tinha perfil para estar lá), mas o facto de Zidane ter sido eleito o melhor jogador do Mundial depois da cabeçada ao... tem graça, não me lembro do nome do jogador italiano...


Tudo isto só me dá vontade de voltar a defrontar a França para desforrar isto tudo. Eu sei que esta atitude não vai muito com o espírito desportivo, mas também uma miúda não é de ferro...


Agora que a nossa bandeira já foi hasteada na África do Sul, já se começa a discutir como será a nossa prestação no Mundial. Eu acho que ainda é um bocado cedo para falar nisso. Ainda estou um bocado naquela fase de euforia pós-vitória, em que uma pessoa pensa que "somos os maiores e mais nada!". Depois do sorteio da fase de grupos lá analisarei as nossas hipóteses. Mas é claro que nada nos impede de sonhar. Quem sabe se não será desta?


Quero então agradecer através do blogue a toda a Selecção, desde o Professor ao funcionário que trata das botas dos marmanjos, passando por todos os jogadores que foram Convocados ao longo desta fase de qualificação, por me terem feito a vontade, por terem feito com que o facto de ter sempre acreditado tenha valido a pena. Obrigado Selecção! Estou orgulhosa de vocês! Agradeço também a todos que, tal como eu, nunca deixaram de acreditar, de apoiar. Valeu a pena!


Vai ser tão bom viver de novo um campeonato internacional de Selecções... um Campeonato do Mundo então... Oficialmente dura um mês inteirinho, mas com os Convocados e o Estágio de preparação ainda vão uns dois meses...


Entretanto, agora que nos qualificarmos, tenho uma ideia em mente que, assim que puder, colocarei em prática. Não revelarei o que é, mas assim que a concluir (e ainda é capaz de demorar um pouco...), anunciarei aqui no blogue.


"Quatro, seis, oito, dez, África do Sul agora é a tua vez!"